Pós-Vendas Na Gestão de Multipropriedade: Um Diferencial Fundamental

pós-vendas

Quando começa o trabalho de pós-vendas na gestão de multipropriedade?

Quando a venda é concretizada terminou o trabalho? Quem concorda com isso?

 

Um dos mais importantes pilares da boa gestão administrativa dos

empreendimentos fracionados pode fazer toda a diferença.

 

Sem um pós-vendas eficiente as operações de fractional e de timeshare estão

fadadas ao fracasso.

 

Saiba quais são os fatores chaves e como você pode garantir este controle.

Mantenha índices saudáveis de inadimplência, cancelamento e renovação.

 

Neste post vamos abordar essa questão com bastante profundidade.

Continue a leitura, confira!

 

Quando a venda é concretizada, o trabalho terminou?

Na venda imobiliária, sim. Ha hotelaria de certa forma sim, no check out você paga

e termina a transação.

 

Na multipropriedade não! Logo em seguida a assinatura do contrato começa todo

trabalho. É aí que entra em cena o setor de pós-vendas.

 

 

 

 

Os Problemas do Pós-Vendas Na Gestão de Multipropriedade

  • Maior exposição de fluxo de caixa negativo – perda de receita.
  • Clientes insatisfeitos – muitas reclamações.
  • Equipes desmotivadas, moral afetada, turnover.
  • Aumento no volume de pedidos de devolução.
  • Necessidade de aporte de capital.
  • Aumento de demandas jurídicas
  • Maior da taxa de cancelamentos.
  • Descontrole de inadimplência.

 

A continuar assim, é questão de tempo até a operação se tornar totalmente inviável. 

Se você conhece essa história ou projetos que estão passando por isso, saiba que isso é

um problema frequente.

 

Muitos empreendimentos têm suas estratégias iniciais focadas somente nas vendas e

marketing. Mas um dos pilares igualmente importantes, o pós-vendas, (para alguns o

mais importante) fica em segundo plano.

 

As Vendas São O Setor Mais Importante Na Operação?

Para alguns, sim. Sem dúvida nenhuma não é nada fácil vender, principalmente nesse 

negócio.

 

Existem operações que vendem muitos contratos, milhões de reais em um único mês. 

Mas, quantas dessas vendas serão consideradas realmente firmes?

 

Enquanto alguns projetos colocam seus “exércitos” nas ruas, com centenas de promotores

na captação e nas vendas, no pós-vendas, ocasionalmente iniciam com uma única pessoa

no pós-vendas.

 

Conceito de Pós-Vendas

A gestão pós-vendas, é um serviço oferecido após a realização da venda,

desenvolvido para  ajudar o cliente a usar o produto. Executado da forma correta, gera

clientes frequentes, fidelização da marca, garante a satisfação e controla a retenção.

 

Desenvolve relações duradouras durante o ciclo de vida de cliente, produzindo novas 

vendas indicações de clientes além de, manter o contas a receber saudável. 

 

É correto  iniciar uma operação com uma equipe de pós-vendas menor, que

gradualmente aumentará.

 

 

pós-vendas na gestão de multipropriedade

 

 

Assim sendo, conforme o crescerá a base de clientes, aumentará a equipe de pós-vendas. 

No início, contudo, um mínimo de pessoas para começar é básico.

 

Estamos vendo um crescimento no mercado de empresas que atuam na multipropriedade

que oferece serviços de pós-vendas para outros concorrentes, como diversificação do

leque de atividades. Tamanha relevância do setor para a atividade.

 

Depois de taxas de cancelamentos que chegaram a 50%, índices de inadimplência acima 

dos 20%, e milhões de reais em prejuízo, a conclusão que se chaga é que a lição foi dura, 

mas foi aprendida.

 

Atendimento ao Cliente

O atendimento ao cliente, é hoje a espinha dorsal de qualquer negócio. Sem ouvir seus

clientes resolver os problemas você não permanecerá no negócio por muito tempo.

 

É sem dúvida  nenhuma a melhor estratégia de marketing.

 

A forma como a empresa se comunica com seus clientes e resolve os problemas é o que

trará maior satisfação dos clientes em relação ao seu produto e serviço.

 

A satisfação dos clientes é  o que vai impulsionar a retenção, e diminuir cancelamentos e 

inadimplência.

 

 

CAC Multipropriedade

 

 

O Valor dos Clientes

“Em média, os clientes fidelizados valem até 10 vezes mais do que a primeira compra.”

 

White House Office of Consumer Affairs

 

É justamente o pós-vendas que dá sustentação robusta ao Programa de Multipropriedade

Compartilhada.

 

Clientes felizes, voltam a comprar e indicam novos. Com recebimentos eficazes, 

diminuição  de cancelamentos, cobrança de parcelas e de taxas de manutenção pontuais,

conduzidos por um controle financeiro rígido, você pode dobrar a receita no longo prazo.

 

O pós-vendas começa como um centro de custo, já que como um departamento da

empresa não gera receita e sim custos.

 

Com uma gestão estratégica bem planejada, um plano de ações rigorosamente 

implementado, em pouco tempo se torna um centro de receitas.

 

“O serviço de atendimento a clientes não deve ser apenas um departamento, deve ser a empresa inteira.”

 

Tony Hsieh CEO da Zappos

 

A Experiência do Cliente

A visão que se tinha sobre a famosa CAC (Central de Atendimento ao Cliente) evoluiu

muito. Passou a ter diversos nomes, central de relações com clientes, serviço de

atendimento clientes, etc.,  e mais recentemente customer experience.

 

Seja qual for o nome uma coisa é certa: 

“Custa 7 vezes mais caro conquistar um novo cliente do que manter um atual.”

 

White House Office of Consumer Affairs

 

O negócio de multipropriedades compartilhadas, por se tratar de contratos com base em

pagamentos de parcelas recorrentes, está pontualmente relacionado com a retenção de 

clientes.

 

Em consequência, é unanimidade que a saúde financeira do projeto depende diretamente

 de um pós-vendas eficiente.

 

Nenhuma operação terá sido exitosa se a taxa de cancelamento for alta. 

 

Além dessa taxa, o Custo de Aquisição do Cliente é outro indicador importante, ou seja, 

dependendo desse custo você precisa que esse cliente permaneça na sua base o tempo

suficiente para pelo menos ele se pagar.

 

Se ele sai antes, você não recupera o custo do valor gasto na aquisição dele.

 

Nesse contexto é que entra a área que agora está sendo chamada de customer

experience ou experiência do consumidor. 

 

A empresa inteira voltada a propiciar que o cliente atinja os objetivos almejados na 

contratação dos serviços. Simples assim!

 

O Ciclo de Vida do Cliente

Na verdade é um processo trabalhoso que envolve equipes muito bem preparadas, 

tecnologia e logística. É acompanhar todo ciclo de vida do cliente dentro da empresa

desde o primeiro contato.

 

O infográfico produzido pela JMService  mostra o panorama do impacto que o 

atendimento ao cliente exerce na retenção de clientes.

 

 

pós-vendas

 

 

O Que Acontece Na Central de Atendimento

A primeira pessoa que tem contato com nosso cliente é o promotor de marketing,

seguindo para vendas, depois em tempo integral com a equipe de pós-vendas.

 

E aí, a partir desse momento, que começa todo o processo. Ele precisará passar por

um período de adaptação, orientação  e treinamento de como utilizar os serviços

da melhor forma possível. Isso é feito no convívio e acompanhamento diário.

 

A equipe precisa ser proativa, atender bem, com follow up frequente. Dar retornos

sobre produto e serviço e se o uso está sendo feito de forma correta. 

 

Tirar as dúvidas e sobretudo antecipar-se aos problemas antes que eles surjam, com

 soluções rápidas.

 

Essa forma de gestão é totalmente diferente da velha CAC, ou seja, um atendimento

reativo. Só entrava em ação após o cliente se manifestar reclamando de alguma coisa

ou querendo cancelar o contrato.

 

Esse tipo de atendimento é o chamado  atendimento bombeirinho ou apaga incêndio.

 

Você sabia?

“Para cada cliente que faz uma reclamação, 26 não querem ter o trabalho e permanecem em silêncio.”

 

Whitehouse Office of Consumer Affairs

 

Nessas condições dificilmente os clientes voltam a comprar de você. 

 

“Aumentar a retenção de clientes em 5% pode melhorar a rentabilidade da empresa em até 95%.”

 

Netpromoter

 

Embora a retenção de clientes, que envolve todo o processo do ciclo de vida do

cliente, seja extremamente rentável  para a organização, a falta de uma estratégia

e o mau atendimento pode prejudicar fortemente os negócios.

 

O Cliente Tem Sempre Razão

O velho ditado, “o cliente tem sempre razão”, continua sendo valioso. Mais do que isso,

hoje, precisamos  fazer com que nossos clientes estejam apaixonados pelos serviços da

empresa e pela empresa.

 

A necessária mudança nos paradigmas começa pelos donos. A cultura tem que vir de cima

para baixo.

 

Não a toa, quando se tem um esforço concentrado através de uma equipe preparada para

ajudar o cliente  atingir os objetivos por ele almejado quando assinou o contrato de

compra, atinge-se também os objetivos da estratégia de retenção.

 

Os 3 principais fatores que levam as empresas a investir na experiência do cliente

impactam positivamente na alavancagem de receitas.

 

1. Aprimorar a retenção de clientes.

2. 100% satisfação dos clientes.

3. Melhorar o cross selling e o up selling.

 

Cross Selling e Up Selling são estratégias de vendas focadas em melhorar a experiência do

cliente.

 

Se baseiam em oferecer  aos clientes existentes produtos complementares àqueles que já

foram adquiridos.

 

 

 Multipropriedade cx

 

 

 

10 Dicas Para Resolução de Problemas

Processo de atendimento e solução de reclamações e solicitações.

 

1. Ouvir o Cliente

A primeira coisa a fazer é ouvir com atenção e deixar o cliente expor com clareza o

problema.

 

A correta compreensão do problema será fundamental para uma solução que atinja em

cheio e resolva a questão. Dê a ele o tempo  que for necessário.

 

2. Empatia

A palavra de ordem nos dias de hoje é conectar. Neste sentido, o ciente tem que sentir

essa conexão da pessoa que o está atendendo e sentir que verdadeiramente estão

enfrentando a questão juntos e não um contra o outro.

 

3. Pedido de Desculpas

Tenha sempre em mente que seu objetivo é ajudar seu cliente a ter sucesso. Pedir

desculpas do jeito certo e na hora certa alivia bastante quando é sincero.

 

4. Resolução

Nesta etapa final, tente saber qual a solução desejada pelo cliente e ofereça várias opções

se possível para ele escolher.

 

 

pós-vendas na gestão de multipropriedade

5. Bom Humor 

Os clientes percebem quando você está de mau humor. Dentro do conceito de experiência

do cliente é importante também encorajarmos clientes a se manifestarem.

 

Para isso é fundamental  que em todos os canais de comunicação isso esteja claro e dê

fácil acesso, sejam canais eletrônicos ou físicos.

 

Em todas as peças gráficas, e-mails enviados, facilite a comunicação de dúvidas,

reclamações e/ou elogios.

 

Com isso você ganha pontos e retem seu cliente. Um número de telefone 0800 ajuda

muito, ou um número que tenha o menor custo de um impulso local.

Um chat ao vivo na página web também soma muito.

 

Por e-mail, as respostas aos clientes não podem passar de 24 horas. Cada reclamação que

chegar tem que ser acompanhada e tratada de imediato.

 

Além de resolver o problema você deve verificar se ficaram satisfeitos com a solução,

caso contrário, de nada vai ajudar.

 

A regra básica é responder pelo mesmo canal em que a reclamação chega. Um estudo

comparou como os clientes usam os canais de comunicação com o que eles preferem.

 

 

 

CX Multipropriedade

 

 

 

O estudo mostra que 79% prefere usar o telefone e 44% realmente usam. É o escolhido

pela maioria das pessoas, para tratar  de questões mais delicadas.

 

6. Proatividade

Procure se antecipar às possíveis insatisfações. É bem verdade, que se o cliente sai da sala

de vendas com dúvidas ou objeções não compreendidas o impacto será no pós-vendas.

 

A equipe de pós-vendas precisa ter total conhecimento do produto, da empresa e do 

mercado onde atua.

 

Os integrantes dessa equipe, sejam reservas, atendimento ou de cobrança precisam ter

habilidades comerciais, de convencimento e negociação.

 

Saber todas as razões que possam levar a uma rescisão e ter a capacidade de argumentar

para tentar rebater os motivos e fazer de tudo para segurar o contrato nas condições  em

que foi vendido ou renegociar novas condições.

 

É preciso lembrar que não se trata de apenas um único problema ou baixo índice de

reclamações.

 

Para cada reclamação, você  terá ainda 26 outras potenciais reclamações iguais, das quais

os clientes ainda não se deram o trabalho de expor.

 

Uma boa dica é criar uma página na web, com perguntas e respostas e incluir todas as

dúvidas que chegaram por outros canais para tentar sanar por ali mesmo.

 

7. Apoio e Comunicação

Pense como se o cliente fosse um amigo, ou seja, se comunique regularmente com ele.

A tecnologia  trouxe ótimas ferramentas, mas todos concordam que, no que se refere

a atendimento a clientes, nada substitui uma pessoa de verdade.

 

Uma pesquisa da Consumer Reports Survey de 2011, mostrou que 67% dos clientes 

desligaram o telefone por que tiveram que esperar e/ou passar por inúmeras barreiras.

São as chamadas URA’s (unidade responsiva audível).

 

Elimine os obstáculos que separam o cliente de pessoas reais que darão o suporte.

Faça isso, antes de colocar em prática estratégias  de cross selling e up selling.

 

Crie um relacionamento e deixe seu cliente perceber que você está engajado em fazer

que ele atinja todos os desejos almejados quando comprou seu produto.

 

Só após essa percepção é que novas estratégias de vendas podem ser aplicadas a novos

produtos e serviços que você queira vender para seu cliente.

 

Frequentemente vemos o pós-vendas inundar os recém-chegados clientes com  ofertas de

produtos e serviços.

 

O cliente nem  bem chegou e ainda não conhece a fundo tudo que seu produto ou serviço

pode proporcionar.

 

Tenha uma página na web com depoimentos dos seus clientes. Isso ajuda a reforçar a 

imagem.

 

Os depoimentos com fotos, ressoam  entre os clientes e prospectos. Confirmam que de

fato seu produto e serviço funciona.

 

A transparência eleva a relação de confiança que os clientes têm em você. Além disso, 

ajuda na indicação para novos clientes.

 

 

 URA multipropriedade

 

8. Entrega da Promessa

Não se trata apenas de entregar o que foi prometido, mas de fazê-lo com eficiência e

rapidez.

 

Quando você tem um produto e serviço  de qualidade inquestionável, você já está

oferecendo uma boa experiência para seus clientes.

 

Se este produto for superior ao da concorrência, também vai colocá-lo em vantagem

competitiva.

 

O pós-vendas, na multipropriedade compartilhada, envolve atendimento, reservas,

intercambio, cobranças e financeiro. 

 

Todos têm que trabalharem em conjunto e sinergia. Sempre falando a mesma língua,

ou seja, se esforçando para que seu cliente tenha sucesso.

 

Todos gostam de se sentirem e serem tratados como especiais. De fato, todos os seus

clientes de férias compartilhadas são VIP. São clientes fidelizados por muitos anos.

 

Compraram seu produto e serviço por muitos anos. É uma declaração de lealdade, cabe

a você realmente conseguir mostrar interesse em cuidar dos seus clientes para que eles 

fiquem com você.

 

 

9. Modelo de Relacionamento

Ao interagir com os clientes é necessário desenvolver uma estratégia de relacionamento 

onde um dos  principais componentes é a estratégia de comunicação.

 

As ações para os clientes devem ser planejadas logo após a compra até a utilização

completa das semanas ou pontos.

 

cotas imobiliárias

 

Aproveitam-se os marcos naturais e criam-se outros que proporcionem encantamento

num período preestabelecido, que é o ciclo de vida do cliente. Esse período depende do

produto, do tipo de cliente e dos objetivos da empresa.

 

No geral este período pode ser estabelecido pelo prazo de duração do contrato. Porém, 

para que o cliente perceba qual é a proposta de valor de forma consistente, a melhor

forma é adotar um modelo de relacionamento.

 

Portanto, modelo de relacionamento, significa a maneira como o Pós-Vendas agregará

valor ao relacionamento para envolver o cliente no diálogo e mantê-lo disposto a interagir.

 

Também é a definição de como se fará a entrega de valor extra durante o ciclo de vida do

cliente.

 

Os modelos, que podem ser usados isolados ou híbridos, inicialmente definidos por

Stan Rapp, são: recompensa, contratual, educacional, parceria, afinidade, valor agregado

e cordialidade.

 

Confira o esquema a seguir.

 

 

fração imobiliária

 

 

10. Ciclo de Relacionamento CX

Customer Experience

Estratégias de Relacionamentos com Clientes

Definição de estratégias antes e depois da primeira utilização do produto

 

Os clientes querem experiências pessoais e envolventes que se desenvolvem em 

relacionamentos.

 

Semelhantes as relações pessoais, quando  bem-feito, os relacionamentos com a

marca podem crescer ao longo da vida. 

Quando mau feito, podem levar a rupturas dolorosas.

 

 

Estratégia de Aproximação – Utilizada com clientes em estágio de relacionamento

inicial;

Principal objetivo: promover a experimentação e criar o hábito de utilização do produto

e dos benefícios.

 

Estratégia de Diferenciação – Utilizada com os clientes que já utilizaram pelo menos

uma vez seus pontos;

Principal objetivo: fortalecer o relacionamento com os clientes atuando de forma

diferenciada de acordo com as suas preferências de viagens e outras oportunidades

de personalização.

 

Estratégia de Recuperação – Utilizada com os clientes que tiveram algum tipo de

experiência com o produto;

Principal objetivo: limpar a imagem e evitar a evasão do cliente.

 

 

fractionals

Ciclo de Vida do Cliente

O ciclo de vida do cliente vem da prática do CRM – Customer Relationship Management,

onde tradicionalmente é usado para mapear as diferentes etapas que um cliente passa

quando da consideração de compra de um produto até a compra real.

 

O mesmo ocorre com o pós-vendas onde entram as etapas retenção, fidelização e

advocacia.

 

Cada vez mais utilizado, inclui o marketing, gerenciamento e otimização da

experiencia do cliente.

 

 

 pós-vendas

 

 

 

Pós-Vendas Na Gestão de Multipropriedade e a Tecnologia

Fica fácil perceber por que uma central de atendimento a clientes necessita de um sistema

hábil de tecnologia.

 

Para alguns o sistema de CRM é um dos mais importantes patrimônios de uma empresa.

Em um ponto todos concordamos: o patrimônio mais importante de uma empresa é o

cliente. Ele quem paga contas e salários.

 

A perda de clientes ocorre por vários motivos, porém, mais de 67% dos clientes afirmam

que se sentem negligenciados ao interagir com a empresa. Esse tem sido o motivo

principal de perda de clientes.

 

Sem um banco de dados robusto o trabalho de acompanhamento dos clientes se perde.

Ainda vemos empresas que insistem em usar planilhas eletrônicas. Isso pode até

funcionar  para os primeiros 300 clientes, mas depois fica inviável.

 

Um banco de dados, alimentado diariamente e utilizado por todos os setores da empresa

é uma das mais poderosas ferramentas que uma empresa pode ter.

 

fracionado

 

 

7 Razões Pelas Quais Você Precisa de um Bom CRM

1.Organização

O CRM integra e-mails, tarefas e calendários e muito mais em um local facilmente

gerenciado. Acesse as informações de qualquer lugar do mundo  e de qualquer

dispositivo acessível pela internet.

 

2. Acompanhamento

O CRM ajuda não apenas a acompanhar tarefas e eventos, nas datas corretas, mas

também relacioná-los com clientes, funcionários e empresas.

 

Além disso, conta com um painel de controle que oferece uma visão geral das tarefas e

eventos  atuais e futuros em todos os seus contatos e intervalos. Permite que você crie

novas tarefas ou eventos imediatamente.

 

Ele  relaciona tarefas e eventos com  qualquer  pessoa que você desejar. Tudo funciona

em conjunto para formar um todo coeso.

 

3. Previsão de Cenários

Um CRM não pode prever o futuro com 100% de precisão (não é uma bola de cristal), mas

pode lhe dar uma expectativa razoável do futuro com base em performances passadas e

eventos passados.

 

Se o seu histórico é  armazenado corretamente no banco de dados, o CRM pode

extrapolar essas informações para lhe dar uma boa ideia do que está por vir.

 

Você pode ver o seu pipeline de negócios prospectivos e ter uma sensação bastante

precisa sobre o quanto você pode esperar para ver nos próximos meses. Ele lhe dá

aquela sensação de psíquico e ajuda a antecipar situações.

 

4. Segurança

Se você usa blocos de notas, memorandos, calendários e outros sistemas para

acompanhar seus dados, então as chances  são altas, você vai perdê-las em

algum momento. Armazenar tudo no seu laptop? Eles podem ser roubados.

 

Um CRM baseado em Web permite que você efetivamente proteja seus dados de serem

perdidos. Claro, os servidores podem falhar e os discos rígidos falharem, mas com os

backups adequados de hospedagem e dados na nuvem, não haverá perda de dados.

 

5. Metas e Objetivos

Um bom CRM possui inteligência de negócios que possibilita, entre outras coisas, a

parametrização de metas e objetivos.

 

Você pode ter desafios internos para ver quem consegue os mais altos índices de

desempenho na resolução de problemas, contenção de cancelamentos, renegociações

em condições diferenciadas, revendas, e upgrades.

 

À medida que os resultados crescem, o mesmo acontece com o seu negócio.

 

6. Documentação

Para ver histórico de tudo o que ocorreu com algum cliente, como ele se relacionou

com os diferentes setores da empresa, tudo o que ele já fez, comprou, utilizou, qual

a validade, os pagamentos, ofertas, etc.

 

Além disso, ele permite armazenar dentro deles todos os tipos de documentos, e-mails,

imagens, planilhas e arquivos.

 

Os sistemas de relacionamento com clientes ajudam a manter todas essas conversas

em um só lugar e tornam mais fácil para você olhar como as coisas progrediram.

 

7. Métricas

Você sabe quantos casos bem-sucedidos você teve na semana passada, mês ou ano?

Você pode indicar rapidamente o seu índice de eficiência ou explicar o método que

utiliza para atingir resultados com certeza?

 

As métricas são fundamentais para o crescimento e sucesso do seu negócio. Um

CRM lhe dará métricas instantâneas em dezenas de aspectos do seu negócio,

e você não precisa fazer nada.

 

Além disso, com um CRM, você pode criar relatórios personalizados para melhor

acompanhar métricas e relatórios específicos para suas necessidades.

 

 

 

 

  fração imobiliária

 

 

  

Sistemas de Multipropriedades

Recentemente fiz uma pesquisa para avaliar os softwares para Timeshare e

Fractional disponíveis no mercado brasileiro.

 

Eu estava prestando consultoria para um grupo e depois de assinar contrato com

eles, uma das primeiras coisas que fizemos foi adquirir um sistema para que ele

fosse implantado ao mesmo tempo que a operação.

 

Eu tenho um pouco de experiência nesse setor, e por isso mesmo, meus níveis

de exigência são altíssimos.

 

Caso eu não encontrasse uma solução que eu achasse apropriada, já sabia de

alguns canais nos E.U.A. onde poderia buscar fornecedores. Felizmente não

foi preciso buscar uma solução gringa.

 

Parti do princípio, que caso fosse possível, o melhor seria um software de

fabricação brasileira. A primeira constatação não me surpreendeu.

 

Existem pouquíssimas soluções especializadas nestes segmentos disponíveis

a venda no Brasil. Talvez duas ou três no máximo.

 

A segunda constatação, foi que existem alguns sistemas de fabricação “caseira”

rodando em alguns empreendimentos no Brasil.

 

Para estes, posso afirmar que logo terão que optar por um sistema profissional

com manutenção constante e portanto, fazer a migração para um novo sistema.

 

Excel x Solução Caseira x CRM

Acredite, em algumas operações os controles rodam em Excel.

 

Antes de dizer qual foi a solução que escolhemos, não há como enfatizar o suficiente,

que nos dias de hoje, não alocar recursos para tecnologia, logo de início, no

business plan, é um erro fatal.

 

Entenda-se por tecnologia tudo que envolve sistemas de informação, redes sociais,

hardware, banco de dados, data centers, etc.

Veja no vídeo abaixo um exemplo de sistema americano para multipropropriedades.

 

 

 

Cyber Security

Uma opção que deve ser avaliada sem dúvida nenhuma é a hospedagem na nuvem.

Muitas empresas confiam que investir em um servidor próprio é a melhor saída para

manter a segurança dos dados.

 

Acreditam que a proximidade física do servidor vai trazer mais segurança. Isso é uma

ilusão, inclusive dá mais trabalho.

 

Um estudo mostrou que 65% das empresas já amargaram com a perda de dados e é

provável que você já tenha passado por este mesmo problema, com algum arquivo ou

dado, por cause de algum problema técnico.

 

Porém, todos os negócios de uma empresa dependem do banco de dados que ela

mantém e alimenta diariamente.

 

Uma perda de dados pode significar prejuízos enormes e negócios parados.

 

Imagine: se até bancos, a NASA e outras grandes empresas e instituições foram

hackeadas, a vulnerabilidade da sua empresa também fica exposta a estes 

sequestros de dados.

 

Recentemente vimos sequestros onde todas as máquinas de algumas empresas

ficaram travadas impedindo o acesso aos dados, e os criminosos exigiram dinheiro

para devolver os dados.

 

Isso aconteceu em várias partes do mundo, inclusive no Brasil.

 

Já falo qual é a melhor solução hoje disponível no Brasil, antes porém, vamos ver

o que é um banco de dados e para que ele serve.

 

 

 multipropriedade e segurança

 

 

Banco de Dados

Os sistemas de informações necessitam de dados para funcionar. Os bancos de dados

são informações ou arquivos relacionados entre si com registros sobre pessoas, coisas,

lugares, etc.

 

Além de grande capacidade de armazenamento destas informações e diferentes tipos de

banco de dados, eles podem ser manipulados para obter diversas respostas.

 

Acho que você já percebeu a importância de um banco de dados para o negócio de

timeshare e fractional.

 

Além de empresas como Oracle e Microsoft existem inúmeras opções de banco de dados,

inclusive os software abertos, que você pode utilizar sem nenhum custo ou custo ínfimo.

 

Todo o controle de vendas, marketing, financeiro e administrativo precisa rodar em um

sistema e ser parametrizado conforme o produto que você vai vender. É impossível ter

uma gestão eficiente sem um bom sistema.

 

Como eu disse, algumas empresas optam por desenvolver seu próprio sistema, eu acho

isso uma decisão bastante corajosa.

 

Isso implica em anos de desenvolvimento, equipes altamente  capacitadas, investimentos

em hardware e software, ou seja, é uma brincadeira que pode custar os olhos da cara.

 

Eu já participei de um programa desses onde estávamos desenvolvendo o próprio sistema

para timeshare, por que na época não haviam sistemas interessantes. 

 

Foi uma das coisas mais trabalhosas que fizemos, e a empresa de tecnologia não conhecia

 o tempo compartilhado.

 

Controle 360º

Foram 3 anos de desenvolvimento até que o sistema tivesse boa funcionalidade.

Logo em seguida, a empresa resolveu abandonar o projeto!

 

Imagine os milhares de reais gastos e literalmente jogados fora.

 

Fazer um banco de dados no Microsoft Access não é tão difícil. Dá até para começar

assim, mas em algum momento você vai precisar de algo mais potente e eficiente. 

 

A quantidade de informações que um projeto de multipropriedade compartilhada 

carrega é gigantesca.

 

Além de automatizar o processo de geração de contratos para cada venda, conforme o

produto que foi vendido, e nas condições de pagamentos que você oferece, todas as

informações sobre seu cliente são neles armazenados. Isso já é um CRM.

 

Na área financeira para citar um exemplo apenas, imagine a venda com entrada parcelada

e saldo em até 36, 48 ou 60 vezes.

 

Se você vender 1.000 contratos, você já vai gerar um volume de mais de 60.000 boletos

de cobrança!

 

Você precisa emitir todos os dias boletos, verificar se foram pagos, enviar as remessas

para os bancos e receber as remessas de volta, fazer conferências, enfim, se você

quiser fazer em Excel até dá mas é uma loucura.

 

O Melhor do Mercado

Sem mais demora, eu recomendo a utilização do Timeshare Soluções, e o famoso

TSS Explorer! Fantástico!

 

Os sócios Rafael e Gabriel estão no mercado há muitos anos, com muitos clientes e as

principais operações de multipropriedade utilizam esse sistema.

Não a toa que o crescimento do TSS Explorer está em ritmo acelerado.

 

Um dos sócios da Timeshare Soluções, o Rafael,  já trabalhou no timeshare então ele tem

uma visão muito clara desse negócio.

 

Imagine explicar para um desenvolvedor todos os pontos de contato no processo, como

funciona timeshare e fractional e pedir o desenvolvimento de um sistema. A imagem

abaixo ilustra a grande complexidade envolvida em uma operação.

 

sml projetos system

 

 

Em uma análise mais profissional, o desenho de um sistema com suas funcionalidades

poderia ser representado dessa maneira:.

 

Sistema Multipropriedade

 

 

A figura acima ilustra claramente a complexidade da administração de um Programa de

multipropriedade de férias compartilhadas, imagine isso com milhares de sócios.

 

Dividido em 3 módulos: Vendas e Marketing, Gerenciamento de Reservas e Financeiro.

A metade de baixo em vermelho e azul é o nosso pós-vendas.

 

Lembre-se de alocar mensalmente no seu estudo de viabilidade, recursos para

licenciamento e manutenção do sistema.

 

Além disso, página web com acesso dos sócios em área restrita, que se conecta com o

sistema fornecendo ao usuário todos os dados históricos de uso e de viagens.

 

Propicie o pagamento de taxas e parcelas online e acesso a dispositivos móveis.

 

Sobretudo, é um investimento imprescindível para quem vai empreender na

multipropriedade.

 

 

Conclusão

Sabemos que realizar vendas neste segmento de multipropriedades é difícil. Na hotelaria

quando você faz check out de um hotel, acaba a relação. Apesar de que você pode realizar

programas de fidelização.

 

Na imobiliária, quando o comprador assina o contrato de compra, a relação termina. No

timeshare e fractional é o contrário. Quando o cliente assina o contrato, a relação começa!

 

Vários esforços são necessários para trabalhar a retenção nesse negócio que sabemos

é delicado.

 

O cliente tem o direito de desistir do negócio em até 7 dias, após a compra. E receber 

100% dos valores pagos de volta.

 

Portanto, no mesmo dia o trabalho de encantamento do cliente deve começar.

 

É necessário maximizar o valor do cliente, fidelizá-los e convertê-los a renovar e

permanecer com você por muitos anos. 

 

Para fazer isso você precisa conquistá-los. Merecer a confiança deles.

 

Muitas dicas apresentadas aqui você já pode colocar em prática hoje mesmo.

Comece com um plano e vá implementando gradualmente as estratégias. 

 

Se você precisar de mais dicas escreva para mim, que será um  prazer ajudá-lo.

 

Deixe um comentário.

 

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *